A importância do sono no processo de aprendizagem

Vamos direto ao ponto: você ultimamente vem dormindo bem?

Você tem noção do quão importante um bom descanso pode proporcionar no processo de aprendizagem?

Pois bem, saiba que o sono faz sim parte de um bocado de benefícios que, com uma boa dosagem de descanso e disposição, seu potencial pode elevar de maneira surpreendente!

Pesquisas recentes demonstram que praticamente todos os sistemas do corpo são influenciados pela qualidade e pela quantidade do nosso sono, especialmente o cérebro.

O sono é fundamental para consolidarmos as memórias que aprendemos durante o dia.

Vejam essa pesquisa:

Um estudo realizado em 2004 submeteu os voluntários a vários testes de matemática. Quando eles apresentavam alguma dificuldade em resolver os problemas, o teste era interrompido e os voluntários eram divididos em dois grupos: Um dormia por algumas horas e o outro ficava acordado. Após esse intervalo os grupos voltavam a tentar resolver o problema. Resultado: o grupo que dormiu triplicou a chance de resolver o problema!

Portanto, você terá grandes dificuldades em obter sucesso se o seu sono não for de qualidade.

Você sabe qual a quantidade de sono que tem que dormir para ter o maior rendimento cognitivo possível?

Pessoas que não dormem o tempo necessário enquadram-se no estado chamado: Restrição do Sono. Quais as consequências da restrição do sono?

Poderíamos dizer para vocês que: terríveis!

Empresas, colégios, faculdades, centros de treinamentos físicos de países desenvolvidos têm se preocupado com esse tema.

Estudos mostram que pessoas privadas de sono sofrem sérias consequências, como:

– lentificação na velocidade de cálculo e aumento do número de erros.
– redução na eficiência do processamento cognitivo e do tempo de reação;
– prejuízo de memória,
– aumento da irritabilidade,
– cansaço, náuseas, dores de cabeça, visão turva, dores articulares e diminuição da libido.

Você sabe qual o melhor horário para dormir, acordar e estudar?

Você, com certeza, já disse pra alguém uma das seguintes frases:

“eu não funciono pela manhã… eu detesto acordar cedo… eu começo a funcionar depois do almoço”
“eu acordo às 5 horas da manhã super disposta e faço mil coisas, mas 8 horas da noite já estou indo pra cama…”

Você sabe qual o melhor horário para você estudar?

Você sabe qual o melhor horário para dormir e acordar?

Será que todos somos iguais quanto aos ritmos de acordar e dormir?

A resposta é NÃO. Definitivamente não.

Acordar cedo ou dormir tarde não é apenas uma questão de preferência individual. Esses horários são determinados geneticamente. Temos um relógio biológico interno que controla nosso ritmo. Se você contrariar o seu ritmo biológico com certeza terá comprometimentos cognitivos e físicos.

É de extrema importância ajustar o ritmo biológico do ciclo sono-vigília com as atividades diárias.
Com o Programa de Rendimento Alto Cognitivo (PARC) você pode ter o seguinte diferencial: Identificar o ritmo biológico do seu sono-vigília.

E qual a importância do estudo cronobiológico individual?

Ao traçar o perfil cronobiológico da pessoa, estaremos prontos para definir quais são os melhores horários para dormir, acordar, estudar, praticar atividade física, etc… Com isso conseguiremos mais resultados com menos esforço.

Além da quantidade, como avaliamos a qualidade do sono?

Durante a fase de investigação do sono, realizamos uma extensa investigação da qualidade do sono, utilizando métodos como a aplicação de questionários e a indicação de exames sofisticados como a polissonografia (exame que mede a atividade respiratória, muscular e cerebral) e a actigrafia (exame para detectar alterações do sono e do ritmo circadiano).

Atente-se ao seu descanso, pois com ele em conformidade, sua cognição pode ser otimizada de maneira significativa e eficaz.

Conheça mais sobre o Programa PARC: www.institutoparc.com.br/o-programa-parc/